Vejo alguns colegas corredores falando “eu fortaleço, fortaleço e não melhoro” ou “já consigo fazer com tantos quilos e não fica forte”! ou então “faço o reforço mesmo assim me lesiono”.

Bom, vou tentar explicar de forma que todos entendam.

Um músculo fraco é aquele que tem sua função normal, ele consegue ser recrutado pelo sistema nervoso mas não tem as suas fibras capazes de gerar o torque necessário.

Neste caso, se você for colocando peso de forma gradual conforme os métodos de fortalecimento indicados, o músculo ganhará força, até mesmo hipertrofia com o tempo.

Já quando temos um músculo inibido, ele não tem sua função motora normal, geralmente existe uma ineficiência do cérebro em fazê-lo contrair na hora certa, da maneira correta, na intensidade correta, a fim de produzir movimentos harmônicos e equilibrados deixando o sistema músculo esquelético mais distante de lesões.

Muitas vezes conseguimos realizar o movimento pretendido graças a ação de outros  músculos que não são motores primários do movimento, ou seja, não são músculos próprios para tal.

Daí a impressão de que estamos ficando mais forte. Na verdade, estamos reforçando um padrão errado do corpo.

Este padrão incorreto gera um esforço maior que o normal e como consequência podem vir as lesões.

Corrigir estes padrões errados de movimento exige algo além de força. Exige reaprender a ação, reprogramar a musculatura. Ativar músculos inibidos.

Este trabalho de reaprender o movimento pode exigir tempo, paciência e perícia do fisioterapeuta para identificar os erros e ajudar o paciente a corrigi-los.

Para se  avaliar a força, temos os testes de força isolada. Seja manual ou dinamometria.

Este último nos dará uma medida objetiva deste quesito. Para se avaliar a ativação muscular temos os padrões de movimento.

Existem diversos testes para se avaliar padrões de movimento.

Ambos são partes importantes da avaliação fisioterápica e podem fazer a diferença tanto na prevenção como no tratamento das lesões na corrida.

Clique aqui e continue aprendendo: Dor muscular tardia

AUTOR

Fisioterapeuta, professor, maratonista e especialista em Fisioterapia Esportiva e Ortopédica. Através do Correr sem Lesão, Alexandre percebeu a necessidade de muitas pessoas em ter acesso a um conhecimento mais aprofundado sobre prevenção de lesões – algo que pudesse ajudar na preparação para provas e com baixo custo. Um conteúdo online embasado cientificamente no que há de mais recente no mercado, aliado à experiência de 20 anos de prática profissional e 18 maratonas para quem quer conduzir melhor os treinos de acordo com o objetivo pessoal.

ALEXANDRE ROSA

Horário de Funcionamento

Seg a Sex

8h às 18h

Estamos em busca de corredores que querem aprender como é possível Correr Sem Lesão. Juntos vamos formar uma comunidade de corredores de todo o Brasil que prezam por alta performance e vida saudável!

Nada pior para o corredor do que uma lesão!

Quer agendar uma avaliação fisioterápica?

Fale comigo no whatsapp